Ganhar (d)o Paulista

No jogo de hoje espero a vitória, é claro. Sempre de goleada. Mas já penso que a derrota não será tão inaceitável como antes. O time está bem desfigurado e jogaremos, de novo, com alguns reservas dos reservas. Pelo menos, o jogo é fora, é tarde e o líder da tabela não joga.

Por outro lado, esses mesmos elementos que serão usados como atenuantes, caso o time perca (sai zica), são aqueles que darão um toque especial a nossa vitória. Podemos permanecer líderes até, pelo menos, domingo às 17 horas, mais especificamente, no joguinho entre porcos e peixes. Mas aí já é uma outra história.

O adversário é o Paulista e o jogo será em Jundiaí. No campeonato, ganhou duas (Noroeste e Guaratinguetá) e perdeu duas (Mogi Mirim e Ponte Preta). Está na oitava posição e vem de goleada. Não sei muito mais do que isso.

Em outras palavras: mesmo aceitável, uma derrota para o glorioso Paulista não será nada bem vinda. E que o time pseudo-titular mostre o que está por vir. Ganhar do Paulista para ganhar o Paulista. Vai, Corinthians!

Contra a política suja!

Pretendia falar sobre o Patrocínio hoje, mas outro assunto atormentou o Corinthians ao longo do dia: as Eleições.

Queira ou não, as nossas eleições diretas tem data marcada: dia 14 de fevereiro. Daqui até lá, aguentaremos de tudo para que isso não aconteça. Logo cedo já me deparei com a bomba: RESGATE DE SÓCIO PÕE SOB SUSPEITA PLEITO CORINTHIANO. Como assim??? Decidi prosseguir a leitura. Para ser breve, a notícia falava sobre como Osmar Stabile pretendia adiar as eleições no Corinthians.

Seria engraçado se não fosse trágico o fato de que quem descobriu os nomes irregulares fora Paulo Garcia e que o mesmo alega que não é necessário adiamento do pleito, mas apenas a regularização da situação. Pior ainda quando sabemos que todos os candidatos receberam a lista para conferência e apenas Garcia tomou as providências devidas. Além disso, ouve-se dos partidários de Stábile que, no caso de a eleição ser adiada, Osmar teria grandes chances de vencê-la.

Gostaria de ouvir a versão de Osmar para a situação.  Gostaria, sinceramente, de saber se estão tentando melar a democracia apenas para ganhar vantagem nos votos. Da mesma forma que gostaria de saber quais são os tipos de irregularidades e se as mesmas são motivo para acusação de fraude. Gostaria de saber se, caso a fraude seja comprovada, alguém vai fazer alguma coisa.

O que mais chamou a atenção, no entanto, foi a atitude da Diretoria Corinthiana de soltar uma nota oficial a respeito do assunto. Na mesma, repreende atitude da Folha de São Paulo referindo-se ao jornal como “leviano e ofensivo à toda comunidade de associados do Sport Club Corinthians Paulista”. Alguns chamaram a nota da diretoria de monte de merda. Outros calaram-se. O que importa, para mim, é que o nosso Corinthians não fique a mercê da imprensa pequena e que passe a repreender esse tipo de pseudo-jornalismo, como já havia dito aqui.

Não estou em favor de ninguém. Defendo a política séria e justa, a campanha com propostas e lealdade. Defendo um debate ou uma sabatina dentro do clube, para os associados. Defendo o fim desse Show de Horrores para o mundo, quando, na verdade, quem elege o candidato está ali no Parque São Jorge. Está na hora de acabar com essa mentalidade de denegrir o próprio clube. Está na hora de enterrar de vez todo os resquícios do nosso passado manchado.

Pagar caro para ver o Corinthians

Vou falar do primeiro de dois temas que estão gerando polêmica nos últimos dias: o aumento no preço dos ingressos. O outro, o patrocínio, em outro momento.

Até o final do ano passado, o Corinthiano pagava R$15,00 para frequentar os setores “populares” do Pacaembu. As arquibancadas especiais e numeradas custavam R$40,00 e R$50,00, respectivamente. Era o preço para ver o nosso timão na série B. Era o preço que resultou em uma média de público de 23.786 pessoas, com arrecadação média de R$ 474.296,84. Fazendo uma conta simples – e burra, talvez – chego facilmente à conclusão que a média de preço paga por torcedor que compareceu ao Pacaembu foi aproximadamente R$19,94.

Tomando como base os três primeiros jogos do Paulista – média de público de 16.270 e renda média 369.979,67 – o valor “per capta” seria de R$22,73. A queda no público médio, em relação à série B, foi de 31,59%, ao passo que a queda da renda foi de 21,99%.

Pressupondo que Ronaldo volte no começo de março, conforme previsto, teremos mais quatro jogos no Pacaembu (São Caetano, Santos, Ponte e Ituano) e, se Deus quiser, uma semi e uma final. Caso R9 jogue TODOS OS JOGOS e o estádio lote em todos eles, as chances de lucrar com o preço dos ingressos é enorme. Cresce ainda mais se pensarmos em utilizar o Morumbambi nos jogos finais.

Enfim, Rosemberg pede um voto de confiança e fala em ganhar muito dinheiro em bilheteria. Não vou crucificar o cara, mas tenho minhas dúvidas se vale mais o dinheiro ganho ou o torcedor no estádio. Fato é que ainda é cedo para tentar mensurar os resultados dessa ação e prever se a torcida irá, ou não, adaptar-se a esse aumento.

Como uma frequentadora de arquibancada e Fiel torcedora, admito que o aumento não atingiu o meu bolso, principalmente pelo fato de nosso desconto ter aumentado para 40%. Mas já frequentei muito a laranja e lembro bem como senti o golpe quando o preço subiu para 30 reais. Imagine para 70! Sou contra o aumento abusivo de ingresso para a Laranja. 50 reais é um preço justo.

Já quanto ao setor  VIP, sou favorável a manter o preço alto. De alguma forma devemos oferecer um serviço para a classe mais rica, já que lá também tem bastante Corinthiano. Espero, apenas, que os serviços deste setor aumentem e tornem o investimento ainda mais atrativo. Li um post legal no blog do Marcelo Lima: área VIP completa. É caro? É! Mas tem muita gente que pagaria! Apóio esse tipo de ação.

Porém, contudo, todavia…  lembro os meus queridos e fieis amigos de que nossa arquibancada de vinte reais teve lugares vazios durante a bela partida de sábado à tarde. Podem reclamar até. Mas façam o favor de ir ao estádio também.

_________________

Em tempo, nada de vender por centos do Dentinho. E nada de atrasar salários. Fiquem calmos, parece que está tudo sob controle, por enquanto!

Desde 1910

A história de noventa e oito anos do Sport Club Corinthians Paulista é rica e muito bonita. Momentos de glórias e superação marcaram a trajetória do time do Parque São Jorge ao longo de 98 anos de existência. Impossível contar todos os detalhes. Entretanto, um aspecto importante acompanhou o clube todos esses anos: o torcedor.

    O Timão não foi fundado por magnatas da cidade de São Paulo. Ele surgiu de um grupo de amigos operários, no bairro do Bom Retiro, empolgados com a idéia de um novo time de futebol. Na data de sua fundação, o lema foi lançado: “O Corinthians é o time do povo, e é o povo quem vai fazer o time”.

    Durante os próximos meses, o novo clube arrecadou dinheiro entre os moradores do bairro, para que pudesse comprar uma bola, ou até mesmo alugar o terreno para o campo de futebol. Assim, disputou campeonatos de várzea e acumulou admiradores por onde passava.

    Mas o Corinthians queria mais: entraria para o seleto grupo de clubes da cidade que integravam as ligas de futebol, desafiando o preconceito que as equipes ricas tinham em relação ao time de “trabalhadores pobres”. Jogou batalhas contra os grandes clubes e, com suas próprias forças, conseguiu ascender à elite.

    Nas décadas seguintes, o Timão ganhou título após título, e a torcida cresceu rapidamente: era o maior time da cidade! O que aqueles corinthianos não sabiam era que o clube amargaria um longo jejum nos anos seguintes. Foram vinte e dois anos sem títulos, sem glórias, sem taças. Mas nunca sem a torcida! Apesar de todo o sofrimento, o povo resistiu firme e forte, pronto para gritar o gol de Basílio, em 77.

    Ao longo de sua história, o Time do Povo demonstrou que a força de sua torcida era maior do que os obstáculos. Para superar a distância, invadiram o Maracanã, em 76. Para superar a ditadura, foram líderes da Democracia. Para salvar o Timão, afastaram Dualib. E para erguer o Corinthians, deram as mãos e reconstruíram o orgulho que ficou ferido.

    Quase cem anos depois, os operários Antônio, Joaquim, Anselmo, Carlos e Rafael teriam orgulho em assistir uma grande partida no Pacaembu e observar a Fiel apoiando o time. Da mesma forma que a Fiel tem orgulho da história que eles fundaram, em 1910.

 

CORINTHIANS x Oeste – Sábado de sol e gol

Pacaembu

Tudo para comemorar: dia de sol desencantou o Timão e ganhamos de goleada!

Poderia acabar meu post aqui, mas não vai ser bem assim. O sol estava MUITO forte, mal deu para assistir a partida. Imagino os nossos jogadores o  que devem ter sofrido! Antes do jogo, na praça Charles Muller, presenciei uma cena deprimente com os famosos GCMs (Guardas Municipais). Alguns deles partiram para cima de pessoas de bem que estavam ali, bradando palavrões e abusos de autoridade. Um deles, inclusive, mandou uma cacetada num cidadão que filmava o ocorrido e partiu-lhe o celular ao meio. Vergonhoso.

Dentro do estádio, velhos conhecidos meus: os vendedores de amendoim. Todo santo jogo estão lá os folgados, puxando a mercadoria pelo muro do Estádio. Já havia relatado AQUI um incidente no qual os covardes bateram em um segurança desarmado em um dos jogos. Pois dessa vez, foram além. Ali, para quem quisesse ver, jogaram o segurança arquibancada abaixo, empurraram crianças e mulheres com brutalidade e fugiram impunes. A polícia chegou instantes depois. Reforço o meu pedido: NÃO COMPREM AMENDOIM DESSES BANDIDOS.

Quanto ao público, ficou sacramentado: os ingressos estão caríssimos. O Pacaembu ficou cheio atrás dos gols e bem vazio nas arquibancadas especiais e numeradas. Não consigo entender esses preços. O apoio, como sempre, incondicional.

O jogo em si, confesso, foi difícil de assistir. O sol castigou e perdi muitos minutos de bola rolando. Pelo que vi, estou prestes a eleger o meu preferido: Alessandro cada vez melhor. Poderia treinar  cruzamento, é verdade. Mas volta bem, salvou uma bola de calcanhar e parte para cima. Que não percamos o Elias, porque o nosso buraco negro está engolindo um jogador por vez: dessa vez foi o Cristian, que torceu o joelho e não jogará o próximo jogo.

Mais preocupante ainda é o caso do Souza. Pediram calma no começo. Pediram calma hoje de novo. Poxa, tá difícil! Ok, que não seja deficiência técnica do cidadão… É deficiência do time então!!! Sei que é difícil trabalhar com tantas perdas, mas já está na hora de engrenar! Gols de bola parada não dão sopa por aí. Que comemore tirando a Zica mesmo. Já a franguinha, comemoração bem bambi hein!

Gols de Otacílio Neto, que jogou bem, Chicão, de falta para compensar o penalti que cometeu, e Souza. Ah, para quem ficou curioso, deram o primeiro gol do Corinthians para o Washington Bambi. O cara fatura gol até quando não tá em campo, brincadeira…

A derrota é inaceitável.

Felipe. Alessandro, Chicão, WIlliam e André Santos. Cristian, Elias, Lulinha e Diogo. Otacílio Neto e Souza. Faltam Douglas e Jorge Henrique. Saci. Morais e Dentinho. Para não falar em Ronaldo. Jogaremos com reservas dos reservas. Temos um baita problema na frente. E um buraco negro no meio, daqueles que faz a bola ir para a outra dimensão e nunca chegar no ataque.

Acordei e entrei aqui direto porque eu preciso ponderar algumas coisas. O que vai acontecer se o time jogar mal? O que vai acontecer se a gente empatar? Vou jogar uns panos quentes e dar a desculpa de que estava muito sol, ou que o time estava desfalcado? Vamos poupar novamente o André Santos? Não sei, não sei.

Para mim, três jogos – mais vinte dias de pré temporada –  já é tempo suficiente para mostrarmos a que viemos. Deveríamos estar em sintonia. Ainda mais quando o arqui-rival vem dando festa! Temos de ser maiores. É bem a verdade que outros times dão sinais de fraqueza, e não deixamos a desejar em relação a (quase) nenhum time desse país. Mas nós somos maiores. Precisamos ser.

O que falta ao Corinthians é ter um time forte, de equipe mesmo, aquela que sobrevive independente de quem são as peças. Precisamos saber suprir a falta de jogadores e, ainda assim, dar medo nos adversários. O Barueri marcou bem Douglas e matou o time. Contra o Botafogo, senti falta do Jorge Henrique  e do Maestro e, aparentemente, o time todo também.

Hoje, espero que o Corinthians jogue bem, e que as trapalhadas dos jogos anteriores não se repitam. Que a defesa seja perfeita, que Cristhian jogue o de sempre, que Alessandro confie no seu futebol, que André Santos, POR DEUS, acorde do sono profundo, que Lulinha seja iluminado por forças divinas, que Diogo mostre algo de bom (e que o Mano não prefira o Eduardo Ramos), que a franga faça mil gols para compensar esse apelido esdrúxulo e que a bola chegue redondinha, como deve ser, no pirulitão.

Otimista que sou, acho que o Corinthians vai dar um show e golear. Mas confesso que não me surpreenderia com um empate. A derrota é inaceitável, já aviso de antemão.

_________________________

Em tempo, passei no blog do PVC – que eu NÃO recomendo – e dei uma olhadinha nos palpites dele para a rodada. O que mais me chamou a atenção, no entanto, foi o grande número de problemas que o nosso time tem, enquanto os rivais tem PROBLEMAS: NENHUM. Eis a lista:

CORINTHIANS – Problemas – Wellington Saci (machucado), Douglas (machucado), Jorge Henrique (machucado), Dentinho (seleção sub-20), Morais (suspenso), Ronaldo (fora de forma), Marcelo Oliveira (machucado), Acosta (machucado)

Corinthians ainda é Corinthians, esqueceram?

Ando bem injuriada e até desanimada de escrever aqui. Há alguns dias tento buscar a razão para não querer falar sobre o Corinthians. Resolvi, então, parar pra pensar sobre o assunto e entender o que está acontecendo.

Há um bom tempo testemunho, no orkut e em alguns blogs, uma verdadeira lavagem cerebral no torcedor corinthiano. Técnico ruim, pior base do Brasil, dívidas impagáveis, torcida menor que a dos Bambis, dirigentes pilantras. É uma patrulha sem fim. O Corinthians é o pior do mundo, e nada de bom acontece!

A situação já é pavorosa quando restrita a leigos e pessoas escondidas atrás de seus computadores. Quando chega a grandes veículos de comunicação, então, torna-se ALARMANTE. Bem lembrou o Marcelo Lima – e eu recomendo a leitura – que a Folha de São Paulo, e mais especificamente um tal de Ricardo Perrone, virou uma vergonha. Todo santo dia sai uma nota para desestabilizar o nosso clube no Painel da Folha. Claramente ligado a alguém da oposição Corinthiana, ele não perde uma chance de cutucar.

As pessoas passaram do limite e, pela primeira vez na vida, estou profundamente desapontada com os supostos corinthianos. O nosso maior rival acabou de ser exemplo (pelo menos, para a mídia) de boa eleição – e eles nem têm eleição direta. O clube do Morumbi, então, valha-me Deus, é o melhor do universo. E o nosso Corinthians não consegue nem se reerguer do maior golpe de todos os tempos.

É assim que voltamos? É assim que começamos o ano campeões? É assim que seremos daqui para a frente? Não sei de onde partiu a idéia, e nem quem bancou a execução, mas o golpe foi certeiro: vão acabar com o maior patrimônio do nosso amado clube, a torcida fiel.

Reclamam de jogadores desconhecidos, ou de corrupção no clube? Quem é que levantou a bundinha da frente do computador e foi até a Rua São Jorge, 777? Quem é que tem prazer em falar tão mal do nosso Coringão? Quem é que acredita no discurso de um pilantra que acusa outro?

Quem está realmente preocupado, realmente assustado, quem realmente ama esse clube, LEVANTE E FAÇA ALGO. Não adianta achar que falar mal do Andres Sanches, Citadine ou Osmar Stabile vai resolver alguma coisa. Texto de orkut e blog só serve bem para enganar o leitor que não sabe de nada. Denúncia, meus amigos, se faz na delegacia e no Ministério Público.

Quero ver quem é homem de dar a cara a bater, quem é limpo e corajoso o suficiente de acusar sem rabo preso com ninguém. Quero ver quem prova o que diz. Quero ver quem para de blablabla e parte para a ação. De boas intenções, minha gente, o inferno está cheio. E essa nova onda de aparecer pra meter o pau em tudo, está acabando com o clube.

Mas esses são só os manipulados, os piores são os que usam essas pessoas para desestabilizar situação e oposição, que usam a mídia e o poder do Timão para fazer política. Eu tenho nojo do que estão fazendo por aí.

Em tempo, claro que merecemos críticas. Claro que não está tudo perfeito, mas existem formas e formas de criticar. Do jeito que está, não aguneto ouvir nem as críticas que merecem ser feitas de fato.

Antes que eu me esqueça, não me venham dizer que estou aqui defendendo nem A nem B. Estou defendendo o Corinthians. E antes que comecem a destilar suas críticas burras, parem e pensem quem é que realmente acaba com o clube. Se é um candidato sobre o qual recaem mil e uma acusações vazias ou se é quem espalha a informação da qual não tem certeza e só aumenta a falta de credibilidade no nosso Coringão.

O Corinthians não é Andres, não é Osmar, não é Paulo, não é Dualib, não é o Lance!, não é a Folha, não é Paulinho, não é Yule, não é nada senão o nosso CORINTHIANS. E as pessoas subestimam o poder das palavras, não entendem que achar que faz o bem nem sempre é fazê-lo. Estou cansada.

desculpa o desabafo.