Arquivo da categoria: Estádio

O preço de não ter Estádio

Eu tive de esperar algumas horas para falar desse assunto, pois estava tão irritada que não conseguia achar alguém em quem colocar a culpa, ou alguma desculpa esfarrapada para dar. Aliás, ainda não achei, talvez porque não tenha mesmo.

Nós, Corinthianos de fé, que comparecemos ao Estádio acompanhar a sofrível campanha de 2007, alguns de nós – e me incluo nessa – fomos a TODO SANTO jogo da Série B, e em treinos, apresentações, Copinha, chuva e sol, pagamos preços altíssimos nos ingressos, nos tornamos Fiéis Torcedores… e PASMEM, não poderemos presenciar os momentos que mais esperamos: os clássicos.

Como assim jogar O JOGO do campeonato lá na … naquela distância?!?! Jogar clássico no Morumbi com 10% pra nossa torcida? E não me venha com a bela atenuante de que jogaremos contra o Santos no Pacaembu. Diga-se de passagem, CEDEREMOS GENTILMENTE o tobogã para os peixes mortos no Pacaembu. Corinthians Grande, sempre Altaneiro, cade o seu Estádio???

Não vou entrar no mérito, não quero um post político. É só mais um dos meus desabafos. Com as mãos totalmente atadas, não podemos nem reclamar. Lá vamos nós, Fiel Torcida, atravessar a cidade para ser menor número, mas não menor apoio, e JAMAIS  menor amor! Lá vamos nós, Corinthianos amigos, atravessar o Estado, chegar cansados, pra comemorar a vitória mais gostosa que existe.

Enquanto isso, é bom alguém providenciar um estádio!

Anúncios

O show tá começando

O Coringão voltou, foi demais, goleou!

O céu escurecia enquanto anunciavam os nomes dos jogadores no microfone. Ronaldo foi o último e botou o estádio abaixo. Chorei, em campo, pela primeira vez no ano. A gente percebe o clima diferente, sente que aquela angústia toda, que parecia eterna, acabou.

O juíz apitou e o temporal começou, os minutos iniciais serviram pra lavar a alma do Corinthiano. Depois, jogo sério. Fui para o estádio preocupada com o nosso ataque e a lateral direita, afinal foram os setores que mais geraram críticas durante a semana.

Olhos fixos em Alessando, que marcou, tirou a bola dos atacantes e fez belo cruzamento. Pareceu-me mais preparado que o brucutu do ano passado. Vamos ao ataque então: Jorge Henrique  e Souza mostraram-se entrosados entre si, e com outros jogadores. A Fiel pediu seis, faltou um só.

Sobre o resto do time: o meio campo pareceu um pouquinho desencaixado, mas individualmente são ótimos jogadores.  Douglas muito inteligente e muito bom. Gosto mais do Elias adiantado. Gostei do Túlio, pelo menos hoje fez uma boa estréia. O Cristian é um monstrinho, não tira o pé da bola por nada nesse mundo. Atrás, nem foram muito acionados. Destaque, é claro, para o gol do capitão.

Gostei muito da iniciativa de fazer um amistoso pra apresentar o time, demonstra planejamento e dedicação. Coisa de time grande, ainda mais contra clube internacional. Eu diria que foi um ótimo jogo e qualquer tentativa de criticar o posicionamento do meio campo ou alguma falha na defesa seria chatice minha. Estudiantes apareceu pra participar da festa do Coringão, pegou seus 400 mil reais e se fuè…

Por fim, a nova música da torcida, a la Silvio Santos:

Festa na favela, alegria do povão

Hoje é o grande dia, vai pra cima coringão

Tá chegando a hora dessa zica acabar

Enfia meia dúzia pra Fiel comemorar

É festaaaaa, é festa na favelaaaaaa….

Foguetes e bandeiras

Hoje é dia ficar ansioso. De combinar encontro com os amigos ao meio dia, na Praça do Paca. É dia de torcer para fazer sol, tirar o pó da bandeira e  ir matar as saudades do Coringão. E como dá saudades!

Por mais que a gente leia TODAS as notícias, veja até os jogos do sof’rível timãozinho e, nos casos mais extremos, invada treino ou concentração, não há sensação como a de chegar no Pacaembu em dia de jogo.

Entrar no metrô e encontrar mais alguns corinthianos, ou subir a Consolação cumprimentando todos os maloqueiros sofredores. Trombar os manos pra tomar uma breja na frente do estádio. Assistir a torcida chegando com a bateria e as bandeiras tremulando. Admito, acho os sábados mais charmosos que os domingos. Na hora do jogo, organizadas para o portão 5, tobogã tem que subir e Fiel torcedor ali no canto. Cada um no seu lugar, o mesmo do ano passado, pra não zicar!

Eu tenho um apreço especial pelos momentos que antecedem a partida: sempre que posso, chego antes. Adoro ver os torcedores preenchendo os espaços do estádio. As criancinhas de camisa 10, que coisa fofa! os empolgados não se aguentam, sempre começam a cantar muito antes do jogo. Chega um momento em que você percebe que chegou a hora. A torcida está lá dentro, os árbitros em campo, os gritos mais altos, o bandeirão no esquema. Tenho certeza de que haverá fogos. Ah, não vejo a hora de ver o Coringão entrar em campo de novo!

Espero que esse amistoso seja um belo espetáculo, de público, de festa e de futebol. São as boas vindas do time para a torcida e da torcida para o time. Aquele famoso caso de amor que nós, Corinthianos de fé, estamos acostumados a ver. Chega logo!

No mais, bela atitude da diretoria de preparar uma festa assim.

Reformas na Fazendinha

Há algum tempo venho pensando bastante no tema do Estádio do Corinthians. Depois de dar uma lida no blog do Cereto, fiquei com isso na cabeça. Hoje, mais do que nunca, eu acredito que algo está sendo feito, mesmo que não agrade a gregos e troianos.

Apresentaram ontem o plano de reformas da Fazendinha. Na verdade, apresentaram o quese-projeto, já que ainda não está fechado. Cada um com a sua opinião, mas eu sou TOTALMENTE a favor desta reforma. Como sócia do corinthians, espero que 70% do Parque São Jorge seja reformado: quadras, ginásios, piscinas e, PRINCIPALMENTE, a Fazendinha.

O lugar é a nossa casa. Quem despreza, não reconhece grande parte da história do Corinthians ou, no mínimo, pensa que o clube deve ser derrubado para dar lugar a algo que nos dê dinheiro. Pois bem, ficarei muito feliz de ver a Fazendinha reformada e novinha em folha.

 É claro que depende muito do custo disso tudo! Eu li por aí que seria de 10, 12 15 milhões de reais, que não saíriam dos cofres do clube, mas sim da Luso Arenas, que exploraria comercialmente o local depois de pronto para recuperar o investimento. Comprovada a licitude do dinheiro, que mal pode haver?

Falam ainda em transformar a Fazendinha em polo cultural da região, alugando o local para shows, eventos, etc… Outra iniciativa fantástica! Quanto maiores as oportunidades de estar ali no Corinthians, melhor. Nada de muito interessante acontece no Parque São Jorge no período da noite, exceto pelas peças de teatro apresentadas no auditório. Além disso, a Fazendinha está localizada em um local afastado dentro do clube, o que garante o sossego dos associados, em dias de evento.

Quanto ao uso do local para mando de jogo, não acredito que existam jogos do Corinthians “para menos de 15 mil pessoas”. De qualquer forma, será maravilhoso assistir um ou outro jogo por ali. E, quem sabe, uma reforminha aqui, outra ali, o número de lugares não cresce mais e mais.

Sobre o Pacaembu eu deixo pra falar depois. não consigo me concentrar em mais nada, apreensiva com essas informações do nosso novo patrocínio! Que Deus (ou Alá) nos ajude!